Geral

Coral Cidade dos Profetas integra a ópera “Devoção”

Coral Cidade dos Profetas se apresenta pela primeira vez ao lado dos três corpos artísticos da Fundação Clóvis Salgado na pré-estreia da ópera “Devoção”, em Congonhas.

O Coral Cidade dos Profetas, um dos principais grupos em atividade a divulgar a música colonial mineira, se apresentará pela primeira vez ao lado dos três corpos artísticos da Fundação Clóvis Salgado durante a pré-estreia da ópera “Devoção”, que acontecerá em 13/7 (sábado), em Congonhas. O coro da cidade, formado por 35 integrantes, entre homens e mulheres dos 12 aos 92 anos, cantará junto do Coral Lírico de Minas Gerais, acompanhados pela Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e pela Cia de Dança Palácio das Artes, no adro do Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, símbolo da cidade e central no enredo da ópera – que acompanha o imigrante português Feliciano Mendes e sua saga durante a corrida do ouro.

Criado em 1988 por seu atual regente, José Herculano Amâncio, o Coral Cidade dos Profetas é especializado na interpretação de música sacra antiga e tem três CD’s gravados. O grupo desenvolve, há mais de 30 anos de atuação, um pioneiro trabalho de proteção deste patrimônio imaterial do país, com apresentações principalmente em Congonhas e em outras cidades históricas mineiras, como Ouro Preto, Mariana, Diamantina, Tiradentes e São João del-Rei, levando ao público o repertório sacro setecentista do estado. Ao longo da trajetória, o Coral tem participado também de eventos significativos, como as celebrações de Semana Santa e de festivais de inverno, além de festivais e encontros de corais nacionais e internacionais.

Mantido pela Associação Cultural Canto Livre, o grupo oferece também, gratuitamente, por meio da organização, formação musical para pessoas de 10 a 90 anos, sendo reconhecido como uma das mais belas manifestações culturais do interior de Minas. Com notável nível de excelência e sempre aberto ao público, o coro vem experimentando cada vez mais sucesso, como conta seu maestro fundador. “Era 1988 e estávamos nos preparando para cantar em uma missa durante a Festa de São José Operário. O objetivo era nos apresentarmos somente na missa, mas depois, por sugestão e motivação das pessoas que nos assistiram, continuamos. O tempo foi avançando e, nos últimos anos, o coro começou a ter visibilidade. Projetos foram sendo aprovados e, a partir daí, passamos a aparecer na mídia. Isso valoriza e divulga tanto o Coral quanto a cidade. Congonhas, por si só, já tem visibilidade mundial e, quando criamos o nome do grupo, pensamos muito nisso, porque ele remete à cidade”, relembra Herculano Amâncio.

Este foi parte do caminho que um pequeno conjunto de pessoas interessadas em aprender música percorreu para formar um Coral polifônico à capela, tendo como principal objetivo aliar a música à arte sacra colonial mineira. E agora, o Coral vive um momento especial, ao ser parte de uma pré-estreia inédita que recupera elementos centrais da história e da cultura mineiras, como salienta o maestro Herculano Amâncio. “Participar da pré-estreia da ópera ‘Devoção’ tem um significado muito especial para o nosso Coral, uma vez que mostraremos, através do tema da obra,aquilo de mais importante que existe na história da nossa terra, a gênese de tudo, que é a religiosidade e a fé. Os ensaios estão acontecendo com dedicação e alma. Há uma grande expectativa entre todos os integrantes, uma mistura de ansiedade, alegria, coragem e medo, afinal é a primeira vez que participaremos de uma produção desse vulto. O público pode esperar uma megaprodução, uma viagem em três séculos de história sendo contados no adro do Santuário do Bom Jesus”, adianta o regente.

A participação do Coral Cidade dos Profetas na ópera foi possível graças às atividades do “Plano Anual Coral Cidade dos Profetas 2024”, aprovado pela Lei Rouanet do Ministério da Cultura, com patrocínio master do Instituto Cultural Vale, patrocínio da CSN e apoios da Prefeitura Municipal de Congonhas e da Reitoria da Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos.

Devoção
A ópera “Devoção” conta a saga de um imigrante português que, movido por sua devoção e como pagamento de uma promessa que lhe devolveu a saúde, constrói uma igreja em Congonhas, que viria a ser justamente o Santuário Bom Jesus de Matosinhos. Por este motivo, a realização da pré-estreia neste local, no dia 13 de julho de 2024. “Devoção” é a 95ª ópera da Fundação Clóvis Salgado, uma produção inédita, encomendada pela instituição e com grande elenco de músicos e solistas. Trata-se de uma produção em dois atos,  com música composta por João Guilherme Ripper, libreto assinado por André Cardoso, direção musical de Ligia Amadio e concepção e direção cênicas a cargo de Ronaldo Zero; participam da montagem a Orquestra Sinfônica e o Coral Lírico de Minas Gerais, a Cia de Dança Palácio das Artes e o Coral Cidade dos Profetas. Depois da estreia em Congonhas, a ópera será apresentada no Grande Teatro Palácio das Artes, nos dias 19, 20, 22 e 23 de Julho. Os ingressos já estão à venda pelo link  https://www.eventim.com.br/artist/opera-devocao/ .

Deixe um comentário